sexta-feira, 7 de maio de 2010

A RADIOTERAPIA

Comecei então a Radioterapia no Hospital das Clinicas, minha prima Ivone conhecia um médico que por coincidência trabalhava lá na área da radioterapia, então mais uma vez tive a sorte de começar logo o tratamento, pois são muitos na espera e no dia 19 de Junho teve início com término em 27 de Julho e as rádios eram feitas de segunda a sexta.
Foi mais de um mês diariamente no hospital.
Cada dia uma pessoa me acompanhava... Mamãe, Ur, Jó, Dennys...
Pra começar fiz um tipo de máscara de acrílico pra proteger minha pele e a parte da garganta, depois me marcaram toda com caneta, medindo parte por parte pra poder fazer a proteção de chumbo. Também marcaram com uma tatuagem o meio do meu corpo na parte abaixo do tórax na parte da frente e nas costas que por sinal existem até hoje...
Tive alterações na pele, semelhantes a queimaduras de sol, onde a cor era bem preta, que desapareceram depois de alguns meses. 
Sentia muito cansaço e náuseas.
E o fato da radiação atingir minha garganta também me fez ficar dias sem comer direito, apenas liquido.
Atingiu também a nuca, e onde havia cabelo caiu tudo e demorou meses pra poder nascer novamente, pois ao contrário da quimioterapia, que faz também cair o cabelo, mas nasce rapidamente assim que termina, a radioterapia o faz cair pela raiz, queimando toda a parte que foi radiada, demorando assim muito pra nascer.

A Radiação foi feita na área do Mediastino e pescoço.

EXPLICAÇÃO RÁPIDA: O que é o mediastino?

É o espaço que fica atrás do osso esterno* (esse osso grande no meio do tórax), no espaço entre os dois pulmões. Nessa localização estão algumas estruturas como: o timo, tireóide intratorácica, gânglios mediastinais, coração e grandes vasos, esôfago e coluna.


Portanto, todas as doenças que possam comprometer esses órgãos são as doenças que chamamos “do mediastino”. 
A radioterapia no tórax pode danificar a tireóide e provocar hipotireoidismo (a glândula não produz hormônios suficientes), o que causa cansaço e ganho de peso. O tratamento com pílulas para reposição hormonal resolve o problema. 

*Chama-se Osso Esterno mesmo.. com eS e não eX
É um osso chato, plano e ímpar. É um importante osso hematopoético. Articula-se com as clavículas e com as cartilagens das 7 primeiras costelas. Constituído por 3 partes: manúbrio, corpo e processo xifóide.

A RADIOTERAPIA

A radioterapia usa raios de alta energia para destruir células cancerosas ou retardar sua taxa de crescimento.
O linfoma de Hodgkin geralmente é tratado com uma fonte externa cuidadosamente posicionada. Ela é bastante útil quando o linfoma está localizado em uma parte do corpo.
A radioterapia também é usada em conjunto com a quimioterapia quando a doença de Hodgkin envolve uma massa tumoral considerável, geralmente no tórax. Nestas circunstâncias, só a quimio ou só a radioterapia não cura o paciente. Juntas, porém, costumam ser eficazes para eliminar a doença de Hodgkin do tórax.
O principal problema da radioterapia de fonte externa é que ela só mata as células cancerosas da área irradiada. Além disso, a radioterapia pode danificar tecidos saudáveis em áreas próximas - um risco cada vez menor graças à maior precisão dos equipamentos.
Algumas pessoas têm alterações na pele, semelhantes a queimaduras de sol, que desaparecem depois de alguns meses. Outros efeitos colaterais temporários incluem cansaço, náuseas ou diarréia.
A radioterapia também pode ter efeitos de longo prazo, sendo o mais sério o aparecimento de um segundo câncer na parte do corpo irradiada. 
Nas crianças, outro possível efeito colateral é o comprometimento do crescimento dos ossos, como os da espinha, quando são irradiados.
Para reduzir o risco de efeitos colaterais, os médicos calculam cuidadosamente a dose necessária e o posicionamento do equipamento, com a ajuda de computadores, de forma que o máximo de radiação atinja o tumor e o mínimo sobre os tecidos normais.
No passado, acreditava-se que a radioterapia causava menos efeitos colaterais que a quimio e era a principal opção no tratamento. No entanto, à medida que os pacientes de Hodgkin viviam cada vez mais, constatou-se que a radioterapia trazia mais complicações no longo prazo. 
Novos tumores se desenvolviam na área irradiada a uma taxa de 1% ao ano. Além disso, a radioterapia na região do tórax aumentava o risco de problemas cardíacos, e na área do pescoço, o risco de uma 2ª neoplasia. Por causa disso, os médicos hoje tendem a utilizar menos a radioterapia, limitando tanto a dosagem quanto as áreas do corpo irradiadas.

INFORMAÇÕES GERAIS

Radioterapia é um tipo de tratamento no qual se utiliza de radiações ionizantes para atingir determinadas células, impedindo seu aumento ou causando sua destruição. Assim, é utilizada em tratamentos de cânceres, hemorragias, dentre outros.
De acordo com o estado de saúde do paciente, localização e tamanho do tumor, o número de aplicações é definido. Por meio de radiografias, a equipe médica delimita a área a ser tratada, e o indivíduo recebe tais aplicações em contato direto com o aparelho (braquiterapia ou radioterapia de contato), ou afastado deste (radioterapia externa) – de acordo com a indicação definida para seu caso. Há situações nas quais é necessário o tratamento com estes dois tipos de contato.
Geralmente é feita uma sessão por dia, durante os cinco dias da semana, com duração que varia entre cinco e vinte minutos; com intervalos programados pela equipe.

Infelizmente, quando um indivíduo recorre à radioterapia, pode sofrer sintomas desagradáveis, como:
cansaço, perda de apetite e irritação da pele.
Assim, para driblar estes problemas, deverá diminuir suas atividades diárias, descansar nas horas livres, comer pouco, ingerir alimentos leves, fazer caminhadas antes das refeições, proteger a pele da luz solar e mantê-la sempre hidratada, não tomar banho com água quente e não coçar a região que recebeu as radiações.
Febre, dificuldade respiratória, visão dupla ou borrada, sangramento e dificuldades de controlar a urina são manifestações que também podem ocorrer, devendo o paciente recorrer à ajuda médica de forma imediata.


8 comentários:

edna maria disse...

dannyle voce e uma gerreira meu namorado esta passando por isso essas palavras que voce diz e muito forte vou passar pra ele esse depoimento eu tive o cancer mas ele nunca me teve e muito forte que DEUS TE ABENÇOE

Anônimo disse...

voce e uma guerreira estou passando por isso eu tenho fe q euvou me curar

Anônimo disse...

Realmente esse depoimento comove muitas pessoas.. Eu tbm passo por isso, estou em fase final de tratamento de câncer, estou nas sessões de radioterapia e com toda fé tenho certeza que estou curada para sempre.... Boa sorte, que Deus abençoe sempre, sempre!!
Fabiana da Silva

Anônimo disse...

oi danny, descobri sò agora o teu blog. vc, a esse ponto, ja deve estar super bem! tenho 30 anos e descobri um cancer de pele no couro cabeludo e nao pude fazer cirurgia no local, entao os medicos aconselharam a radio. E' super dificil achar infos sobre o tatamento com radioterapia, talvez por ser considerado uma terapia menor. Ao ler teu post de hoje fiquei feiz ao saber que meus cabelos voltarao a crescer, mesmo que demore uns meses a mais. Os medicos se preocupam um pouco menos com a parte estetica dos tratamentos e por isso é mais dificil achar informaçoes. Para ajudar a diminuir a queimadura passo um gel manipulado a base de aloe. Melhora bastante a aparencia e a queimaçao. Boa sorte e tudo de bom! Mi

Lucia Borges disse...

Estou terminando o tratamento (fiz 7 seções de quimio) e 20 rádio.E graças a Deus estou curada de um linfoma no mediastino.Sou uma sortuda.Que Nossa Senhora me conceda sempre saúde de corpo e alma.Quem precisar de informações sobre minha experiência pode me ligar fone 34 -9102-7871. Lucia Borges

Lucia Borges disse...

Estou terminando o tratamento (fiz 7 seções de quimio) e 20 rádio.E graças a Deus estou curada de um linfoma no mediastino.Sou uma sortuda.Que Nossa Senhora me conceda sempre saúde de corpo e alma.Quem precisar de informações sobre minha experiência pode me ligar fone 34 -9102-7871. Lucia Borges

Maria De Lourdes disse...

Maria De Lourdes disse sou mãe do André Luiz!!!!Parabéns vc é uma guerreira!Tb passei por uma situação semelhante a sua,meu filho teve cancer maligno com apenas 2 aninhos,teve um tumor neuroblastoma(impossivel a cura)pois ele teve entre o figado e o rim,e depois no cerebelo,atravessei um ano entre um hospital e outro,fui pra São Paulo,fez quimio radioterapia,pegou infecção hospitalar assepsemia quase morreu,a médica que cuidava dele disse que ele teria 2 meses de vida só,porque qdo se tem metastase a chance de cura se torna muito dificil......Nunca perdi a FÉ em DEUS,pra resumir hoje meu filho tem 22 anos,não ficou com nenhuma sequela,concluiu o ensino médio,é um moço feliz,com a graça de DEUS.....amei seu depoimento,Eu tive um cancer,mas ele nunca me teve.....meu filho é um guerreiro,um vencedor,e DEUS nunca nos abandonou.....

Anônimo disse...

ponta dos dedos das mãos estão dormentes. Tem sido muito difícil e doloroso suportar estes efeitos. Não sei se é normal. Já me disseram que dura cerca de três meses. Vamos aguentar e ter fé em Deus.
Obrigado

Postar um comentário